Anjo de Luz

Informação é Luz , ajude a propagar

Convidado: Abraham, o que realmente me traz ao que é ensinado aqui é pragmático. É muito prático. É algo eu posso usar diariamente e gostei disto – sabendo que estou mais feliz quando estou em amor, quando estou em alegria, quando estou apreciando.

Abraham: Antes você falou do caminho espiritual em que esteve. E quisemos brincar com você um pouco e dizer “você realmente não pode sair desse caminho”. (Gargalhadas). Em outras palavras, não há nada mais espiritual do que a florescência do espírito na forma física humana manifestada. Em outras palavras, eis você, a extensão da fonte de energia. Isso é espiritual. Apenas seja. Sim.

Convidado: Nesse caminho escolhi ser um professor – um professor dos princípios espirituais – ajudando pessoas a transformar suas vidas. E vivido o vício eu mesmo – através do alcoolismo e das drogas – tenho a tendência de atrair aquelas pessoas para a minha vida que também precisam de ajuda.

Qual é a melhor forma de ajudá-las a gerar o desejo de sair das drogas? Porque as drogas fazem com que elas se sintam bem. As drogas fazem com que elas se sintam felizes e amadas – com grandes conseqüências, é claro. Mas o vício tem sido, ah, uma situação muito dura.

Abraham: Quando você diz a palavra e a importância de “princípios espirituais”, queremos continuar voltando atrás – como se fosse um jogo – para ajudá-lo a entender que, como princípios espirituais, isso soa bem - e entendemos aonde você quer chegar – mas ensinaríamos “orientação individual”. Em outras palavras, tentaríamos ajudar todo mundo a entender que eles têm em si, um centro emocional que os está guiando, deixando-os sabedores da conexão deles com a fonte. Porque, quando você tenta guiar a partir de “princípios” ao invés de colocá-los em contato com seus próprios sistemas de orientação é menos provável que você os ajude a fazer o que é melhor para eles.

É interessante – quantos sistemas de “princípios espirituais” existem e como estão em contradição, tantos deles, uns com os outros. Assim, as pessoas têm dificuldade de guiarem-se exteriormente. Entendemos – está tudo bem com o que você está oferecendo e há muitas pessoas oferecendo muitos “princípios espirituais”. Mas diríamos: há um princípio que gostaríamos que você entendesse. Quando você se sente bem – e qualificaremos isso para você aqui - quando você se sente bem, você está em alinhamento com a energia que é você. E quando você não se sente bem, você não está.

Em outras palavras, se alguém usa o tempo para prestar atenção à forma como se sente, e faz isso consistente e constantemente, de forma a começar a ter um senso da própria escala emocional, antes que você saiba, você pode realmente dizer qual é seu conteúdo vibracional. Às vezes – e você disse isso há pouco – alguém utilizará algum outro significado para “sentir-se bem” e, ainda assim, dizemos que os princípios ainda se mantêm. Porque na experiência da substancia, eles dissiparam o foco o bastante a ponto de terem menor resistência de pensamento do que tinham. E essa difusão de pensamento, é essa liberação de pensamento focado sobre as coisas que estão causando tanta resistência que dá a eles esse bom sentimento. E concordamos com você, não achamos que é tão produtivo induzi-los a isso, através desse tipo de distração, quanto escolher o pensamento que lhes dá o alinhamento. Mas começaríamos com o princípio de que a forma como você se sente é importante.

Começamos nossa discussão com você antes mesmo de você sentar-se na cadeira porque queremos que você perceba – pense sobre o que estávamos falando – sobre a escala das emoções e como às vezes fica louco sobre algo que é, na verdade, um aperfeiçoamento em sua vibração, sentir aquela depressão forte ou aflição que estava sentindo antes de ficar bravo. Há um tipo de mecanismo de ligação ao escolher qualquer emoção que faça sentir bem. E ainda assim, frequentemente, a pessoa que está experienciando a droga foi para a droga porque ela era o único alívio que a pessoa poderia obter. Assim, isso ERA um tipo de mecanismo de ligação, uma ponte. Mas quando alguém que os está aconselhando, ou olhando, diz “Mas a ponte escolhida está conduzindo você a uma grande destruição”, ao invés de aceitar que aquela era a melhor coisa que eles poderiam fazer e que lhes trazia algum alívio – então na condenação da ação deles, eles são levados para a depressão e nenhum ganho foi conseguido. E, se não houvesse tanta condenação da ação que eles praticaram na tentativa de sentir-se bem, então a ponte da droga - e somos corajosos quando dizemos que isso “É” uma ponte...a ponte da droga – quando todo mundo diz “Eu transei a droga e me senti melhor”, temos que dizer “então foi uma coisa boa! Então, foi uma coisa boa!”.

Mas se eles dizem “Mas agora estou aqui e a droga não me fez sentir melhor do que isso – mas agora estou aqui e agora quero algo diferente da droga”, dizemos “bem, então, agora estabeleça uma nova intenção, mas não condene onde você está”.

E essa é a coisa que percebemos que não está indo muito bem com muitos que estão tentando tratar o vício. É exatamente a mesma coisa que dá errado quando você vê alguém em uma emoção muito negativa e você diz “você deveria estar alegre!!”. E eles dizem “Certo, vou ficar exatamente agora”. Eles não têm acesso àquela alegria mais do que alguém que tem acesso à alegria ou em liberar a droga. Em outras palavras, é uma coisa de passo a passo, de passo a passo. E a guerra contra as drogas, e a condenação poderosa ao vício exacerba qualquer emoção negativa que eles estavam tentando usar como ponte desde o começo.

Quando alguém tem uma dor de cabeça você nunca diz (em tom acusatório) “Você não tomou uma aspirina, tomou? Você não procurou nenhum alívio artificial para sua dor de cabeça?”. E a razão disso é que as pessoas diriam “Bom, a aspirina não vicia”. E dizemos que tudo “é” e nada não “é”. Em outras palavras, entendemos onde eles estão chegando, mas se você não chega à causa da emoção que fez com que a droga fosse o melhor mecanismo de ponte, então ela sempre será o alcance para isso novamente.

Agora voltaremos à resposta para a pergunta que você fez, que é “como ajudaríamos alguém a liberar seu vício de alguma substância”. E a primeira coisa que faríamos é parar de condenar esse vício. Diríamos a esse alguém “você escolheu algo que, à época, parecia a melhor escolha que você poderia fazer”. “E estamos (“estou”, diríamos se estivéssemos em sua forma física) aplaudindo você pelo desejo de sentir-se melhor e por esforçar-se”. Assim, gostaria de lhe dar uma ampliação, se você quiser – é um tipo diferente da maioria dos tratamentos de drogas – você teve uma boa época, não é?

Convidado: Sim.

Abraham: Isso que você fez não é muito sério. Você pode ver, olhando esses vícios, o conflito e o trauma que muitas pessoas têm com o vício em relação à ruína financeira? E, como as drogas são ilegais, há todo tipo de outras ocorrências. O preço para obtê-las é muito alto. O preço físico para obtê-las é muito alto. Há toda sorte de coisas com as quais se preocupar quando você começa a jogar esse jogo. Você acha que sua consciência da situação em que se colocou, uma vez que você se colocou nisso, é mais útil à depressão ou à alegria? Em outras palavras, é o tipo de espiral que se mantém fechando-se em si mesma, não é?

Assim, o que faríamos - pelo menos com este indivíduo com quem estamos trabalhando - para legalizá-los . Em outras palavras, nós deixaríamos surrá-los para que eles escolhessem. Ao menos os deixaríamos saber que, nesse momento, eu não o condenaria pela ação deles. Que talvez eu até estivesse entendendo. Exatamente como quando você diz a alguém que está abrindo um buraco na parede, com raiva – que essa é uma escolha melhor do que a aflição que estavam sentindo antes.

As pessoas não querem fazer isso. Em outras palavras, você encontra alguém sangrando na rua, você o vê como alguém que precisa de ajuda e a maioria de vocês oferece ajuda. Mas quando você vê alguém abrindo buracos nas paredes, ou quando você vê alguém fazendo algumas dessas coisas que vocês decidiram que é ilegal, ou imoral, ou inapropriada – ao invés de entender que eles estão na mesma situação de alguém que está sangrando, a maioria se coloca contra, o que só exacerba a razão pela qual eles começaram isso.

Entender um amigo, não condenando-o por suas ações, e até mesmo suportá-lo e concordar que essa não foi uma decisão tão má, mas que agora - da mesma forma que alguém que abre buracos na paredes e está recebendo o resultado negativo da dor de ter ferido os punhos e feliz por consertar a parede, ou talvez até mesmo pagar por ela – eles normalmente ficam num estado onde não podem tomar uma decisão mais racional sobre algo, de forma que prefeririam até mesmo fazer buracos nas paredes. E o que queremos lhe dizer, e queríamos ter dito antes, é que é mais fácil para eles virem da raiva para a alegria do que era vir da depressão para a alegria. E diremos enfaticamente – é mais fácil para eles vir do vício para a alegria do que era vir da depressão para o vício. Em outras palavras, essa era uma ponte muito mais forte do que qualquer um quer admitir, mas é. Condenar a ponte faz a ponte ineficaz, e não há nenhum ganho advindo da escolha, quando bem poderia haver, entende?

Com que freqüência você já teve a experiência onde alguém condena você por suas ações e, então, você pára o que estava fazendo? Você realmente não gosta quando ninguém concorda com você. Você não deveria estar fazendo isso e então tudo fica bem? Isso é o tipo de aproximação otimista que faríamos com alguém que esteja nessa situação. Diríamos “eles não sabem! Eles não sabem como você se sentiu. Eles não sabem quais eram suas escolhas. Eles não podem avaliar sua vida a partir da perspectiva deles. ELES NÃO SABEM! Eles não sabem. Se eles soubessem, as coisas seriam muito melhores, e bem cedo, para muitos viciados. E não está melhorando, você vê.

Eis porque isso não funcionará: Quando alguém diz “ativarei algo em minha vibração e, então, usarei meu poder de força de vontade para evitar isso”, dizemos que isso é como tentar segurar o oceano. Isso é como tentar fazer o fluxo da água subir a montanha. Isso desafia todas as leis, como as conhecemos. Você tem que entrar na sintonia vibracional com algo antes que a energia flua da forma natural em que ela flui. Então, quando alguém diz “vou PARAR de utilizar algumas drogas”, dizemos “você tem que encontrar uma vibração diferente antes que essa seja uma opção para você”.

Assim, pensamos que a guerra contra as drogas deveria ser uma atenção à vibração. Achamos que deveria ser um “Deixemos de nos debater contra algo que faz as pessoas se sentirem bem e de nos debater contra algo que faz sentir mal”. Mas olhe a forma como a sociedade vê isso. Em outras palavras, primeiro eles condenam você. Eles rotulam você. Então, eles criminalizam você fazendo com que isso seja contra a lei. E então eles colocam você numa cela, ou num programa de tratamento onde eles podem, de uma forma regular, desmoralizar você e nocautear você. E não faríamos isso dessa forma. Nós os deixaríamos de fora. Nós os elogiaríamos pelo esforço. Diríamos a eles “entendemos como você chegou aí e, agora, como você se sente? Da experiência que você tem, do estado em você está agora, o que você quer agora?”. E se eles dissessem “mais drogas”, diríamos – concordamos – por agora. Pois ninguém concorda e decide. E então, se estivéssemos interagindo com alguém que está utilizando drogas, falaríamos com eles em temros de “como” eles se sentem. E mostraríamos que mesmo utilizando drogas aquele sentimento melhorado é por causa do foco melhorado. O sentimento melhorado é por causa da “diferença” do foco.

Pense nisso em termos de estágios elementares. Pense sobre qualquer um de vocês que sentem a tensão de um dia. E quando vocês utilizam o álcool, começam a sentirem-se relaxados. E pense sobre os componentes disso. Você separou algum tempo de forma deliberada de forma a poder relaxar. Talvez até mesmo tenha separado, de forma deliberada, algum tempo com outros com quem já teve um tempo gostoso antes. Deliberadamente você ordenou algo em que acredita, que lhe agrada. Em outras palavras, você começou a focar na direção de sentir-se bem. E o que estamos obtendo da condenação de sua escolha NÃO É a resposta. Ao invés, um entendimento das escolhas que você está fazendo e do PORQUE elas o ajudaram a sentir-se melhor com a resposta.

Ajudou?

Convidado: Sim, obrigado.

Abraham: Então, o que alguém faria? Primeiro, você não pode lutar contra todo o sistema. Você tem que começar decidindo exatamente agora que se trata de um esforço individual. Isso é o que faz o movimento progressivo tão difícil para muitos de vocês. Você diz “Sim, e o que dizer a respeito dos outros?”. E dizemos “apenas siga seu caminho e, uma você que você esteja certo de qual é o seu caminho, então você pode falar para os outros. Siga seu próprio caminho. E então fale para os outros”.
Ótimo.

Abraham


Do seminário de 16/Ago/2003 – On Spiritual Principles and Addiction
Publicado em http://www.abraham-hicks.com/
Tradução: Luciene Lima, São Paulo, SP, Brasil

 


Exibições: 35

Seja um apoiador de Anjo de Luz

Para mantermos os sites de Anjo de Luz, precisamos de ajuda financeira. Para nos apoiar é só clicar!
Ao fazer sua doação você expressa sua gratidão pelo serviço! Lembre-se que dar e receber são aspectos diferentes do fluxo de energia no Universo.

 
Visit Ave Luz

 

PUBLICIDADE




Badge

Carregando...

Co-criando A NOVA TERRA

«Que os Santos Seres, cujos discípulos aspiramos ser, nos mostrem a luz que
buscamos e nos dêem a poderosa ajuda
de sua Compaixão e Sabedoria. Existe
um AMOR que transcende a toda compreensão e que mora nos corações
daqueles que vivem no Eterno. Há um
Poder que remove todas as coisas. É Ele que vive e se move em quem o Eu é Uno.
Que esse AMOR esteja conosco e que esse
PODER nos eleve até chegar onde o
Iniciador Único é invocado, até ver o Fulgor de Sua Estrela.
Que o AMOR e a bênção dos Santos Seres
se difunda nos mundos.
PAZ e AMOR a todos os Seres»

A lente que olha para um mundo material vê uma realidade, enquanto a lente que olha através do coração vê uma cena totalmente diferente, ainda que elas estejam olhando para o mesmo mundo. A lente que vocês escolherem determinará como experienciarão a sua realidade.

Oração ao Criador

“Amado Criador, eu invoco a sua sagrada e divina luz para fluir em meu ser e através de todo o meu ser agora. Permita-me aceitar uma vibração mais elevada de sua energia, do que eu experienciei anteriormente; envolva-me com as suas verdadeiras qualidades do amor incondicional, da aceitação e do equilíbrio. Permita-me amar a minha alma e a mim mesmo incondicionalmente, aceitando a verdade que existe em meu interior e ao meu redor. Auxilie-me a alcançar a minha iluminação espiritual a partir de um espaço de paz e de equilíbrio, em todos os momentos, promovendo a clareza em meu coração, mente e realidade.
Encoraje-me através da minha conexão profunda e segura e da energia de fluxo eterno do amor incondicional, do equilíbrio e da aceitação, a amar, aceitar e valorizar  todos os aspectos do Criador a minha volta, enquanto aceito a minha verdadeira jornada e missão na Terra.
Eu peço com intenções puras e verdadeiras que o amor incondicional, a aceitação e o equilíbrio do Criador, vibrem com poder na vibração da energia e na freqüência da Terra, de modo que estas qualidades sagradas possam se tornar as realidades de todos.
Eu peço que todas as energias e hábitos desnecessários, e falsas crenças em meu interior e ao meu redor, assim como na Terra e ao redor dela e de toda a humanidade, sejam agora permitidos a se dissolverem, guiados pela vontade do Criador. Permita que um amor que seja um poderoso curador e conforto para todos, penetre na Terra, na civilização e em meu ser agora. Grato e que assim seja.”

© 2019   Criado por Fada San.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço