Anjo de Luz

Informação é Luz , ajude a propagar

Comentários de Darla Ken Jensen Pearce

Caixa de Recados (25 comentários)

Você precisa ser um membro de Anjo de Luz para adicionar comentários!

Entrar em Anjo de Luz

Às 15:42 em 19 setembro 2019, Verdade disse...

Às 19:45 em 19 setembro 2018, Verdade disse...

Às 14:50 em 19 setembro 2016, Verdade disse...

"Procure fazer as pazes com todos aqueles que estão

de mal com você."

(C. Torres Pastorino)

Às 18:27 em 19 setembro 2015, Verdade disse...

"Ama e compreenderás."

(Emmanuel)

Às 18:45 em 19 setembro 2014, Verdade disse...

"O fundamento de toda a prática espiritual é o amor."
(Dalai Lama)

Às 13:15 em 19 setembro 2013, MARGARIDA MARIA MADRUGA disse...

Às 23:42 em 19 setembro 2012, Verdade disse...

 

 

Às 11:49 em 19 setembro 2011, Verdade disse...

 

Às 11:30 em 19 setembro 2011, Denise Martins Garcia disse...
Às 1:15 em 3 abril 2011, Ibiatan Upadian disse...
Olá Darla, irmã estelar, saudações fraternas!
Seja bem vinda ao nosso site, estamos muito felizes com sua presença de luz entre nós.
Queremos convidá-la para fazer parte do Grupo de Estudos que criamos sobre o Livro "MENSAGEIROS DO AMANHECER - Ensinamentos das Plêiades", um best seller de luz canalizado por Bárbara Marciniak.
O objetivo do grupo é fazer um estudo passo a passo do referido livro, que é extremamente revelador de verdades intensas sobre as origens e a história da humanidade e através do qual os Pleiadianos nos passam ensinamentos surpreendentes e importantes para nosso despertar e evolução pessoal.
Estamos reunindo todas as Sementes Estelares e os membros da Família da Luz e será uma grande alegria podermos contar também com a vossa participação.
Venha conhecer a página de nosso grupo sem compromisso e BAIXE GRATUITAMENTE A CÓPIA DO LIVRO (mesmo que não queira participar, vale a pena ler o livro e praticar os interessantes exercícios que ele propõe para o nosso crescimento espiritual).
Para acessar a página de nosso grupo, poderá fazê-lo clicando no tópico "GRUPOS" que aparece no cabeçalho de qualquer página no site Anjos de Luz ou através do link abaixo:
http://anjodeluz.ning.com/group/mensageirosdoamanhecerensinamentospleiadianos
Para participar do Grupo de Estudos é necessário entrar na página inicial de nosso grupo e clicar no botão "+ PARTICIPAR DO MENSAGEIROS DO AMANHECER", que vai estar no canto superior direito da página (e a esquerda do vosso nome).
Para maiores esclarecimentos, inclusive sobre como baixar o livro, leia primeiramente os textos APRESENTAÇÃO DO GRUPO e INSTRUÇÕES GERAIS, contidos na página inicial de nosso Grupo e qualquer dúvida, contate-nos.
Um grande abraço fraterno e que a paz, a luz, a alegria e o amor divino estejam contigo sempre.
Ibiatan Upadian
Às 2:14 em 7 março 2011, MI ANRIM disse...

Hello Dear Darla.

Good morning Darla Pearce. I took the liberty of making the translation into Portuguese it is published in blog Angel of Light noticed that the message was important and urgent .

If you want to visit the blog with the message:  Invocation to the Universal Underworld ~ Day 1
 

Thanks for your attention.
Peace, Light and Happiness Always.

Às 23:02 em 29 setembro 2010, CAPTAIN BRUCE LEWIS disse...
HELLO DEAR DARLA
 MY STAR SISTER ,,, NICE TO SEE YOU HERE ,,, DID YOU GET MY EMAIL ?
  ON THE 10-10-10 -
i sent you a letter for your Birthday ---
and yes i got your email---for meditation on the `10-10-10- Thank You
also ,on 10-10-10-
 THE Atlantian CRYTALS IN ARKANSAS ARE TO BE ACTIVATED - & I HAVE A
Very Important
WEBSITE FOR YOU --- FROM TOM KENYON AND THE Hathors -
FOR
COMING WORLD WIDE EVENT ON OCT 31 http://tomkenyon.com/the-ctys
 for questions phone # 360 376 5781
was it you --who hooked me to this website?,?? wondered how i got here --- WELLL,,, DEAR SISTER
,,,STAY BLESSED,,,IN LOVE & LIGHT ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, NAMASTE CAPT BRUCE
Às 20:45 em 19 setembro 2010, Fada San disse...


happy birthday!!!
Às 18:10 em 19 setembro 2010, Verdade disse...

Parabéns hoje, felicidades sempre!!! Namasté.
Às 16:09 em 19 setembro 2010, Leonice disse...
smileys falando
Em 3:06pm on setembro 19, 2010, marta medianeira silva da costa deu para Darla Ken Jensen Pearce um presente...
Presente
FELIZ ANIVER..DE;SUA IRMÃ.MARTA.
Às 0:13 em 19 setembro 2010, Fatima dos Anjos disse...
/body>
Às 20:59 em 18 setembro 2010, Fada San disse...
Love you

Às 22:43 em 31 agosto 2010, Amigo dos Anjos(Fernando) disse...
“A morte não existe. Os mortos não morrem!"

"(...)No momento histórico em que a Ciência terrena começa a vislumbrar a realidade de outras dimensões e o vazio que constitui a matéria, destruindo as bases do materialismo, urge pensar as conseqüências morais da descoberta, também nos laboratórios, de que a morte não existe. É preciso derrubar esse grande equívoco da Humanidade, porque a Vida é eterna e totalmente dinâmica em todos os planos em que se manifesta."(http://www.tbv.com.br/inc/interno.php?cm=80320&cs=33&ci=1)

Quer presentear-se, Darla?

Acesse agora:Mensagens Ecumênicas

Amigo dos Anjos - amigo_dos_anjos_144br@hotmail.com
Às 12:22 em 18 novembro 2009, Cristina Guedes - Taróloga disse...
Bem Vinda querida!




coluna AFRODITEQUEMQUISER

O ANO NOVO DE VER ...


Por Cristina Guedes


Tudo mostra uma causa inteligente, ativa, experiente, diferente, o esplendor de renascer todas as coisas antes de começar a sentir sempre.

Por isso aguardo o ano novo de ver o Aleph agigantar-se ao primeiro inventário do Ser. E por que contar fatos ou alardes se as coisas do ano novo mudaram suas bases. Então, uma vez dividi-me, dissolvi-me, passei a sair e a procurar-me no novo Ser. E vi...

Vi o ano de ver a menina brincar, inventar, seguir a formiga até seu formigueiro, misturar água com tinta para ver o resultado da inspiração, eis o que se faz quando se é pequeno ou quando se é capaz de soltar o coração.
Vi o ano de ver a classe, o ano de ver o professor, o ano de ver as aulas, o ano de ver qualquer tremor de terra ou de amor.

Vi o ano de ver a criança engraçada que eu era e a mulher que eu seria inesperadamente depois do humor e da intuição.

Vi o ano de ver na adolescência que eu crescia sem saber para onde, talvez fosse uma estranha gigante embaixo da mochila pesada, uma ET cheia de cálculos ou pensamentos e que eu não compreendia se não fosse eu.

Vi o ano de ver a mim, o ano de ver os outros. O ano de ver o corpo, o ano de ver a alma, o ano de ver o sangue se despojando em face do conhecido.

Agora lembro-me:

O ano de ver minhas amigas melindradas porque estavam prestes a se apaixonar.

O ano de ver as freiras sufocadas por motivos do desejo atentar. O ano de ver as missas sonâmbulas do meu colégio.

O ano de ver que exigiam que eu me ajoelhasse na madeira dura e pedisse perdão só porque minhas pestanas não estavam de corpo presente.

O ano de ver no sermão do padre como Jesus dizia coisas parecidas com a gente que eles chamavam de crianças.

O ano de ver o meu ídolo pendurado numa cruz, querendo me dizer que a vida nascendo era tão sangrenta quanto morrer.

O ano de ver que aquele amor não me desfitava. O ano de ver e dizer para ele que eu via o abismo do mundo e que aquilo que eu via me valeria o dia de nascer.

O ano de ver que eu era docemente purificada pela essência do crescimento.

O ano de ver minha ostensiva falta de jeito pela primeira noção de paixão; e a tudo que ele nem dizia eu respondia com um simples não, mas ninguém em sã consciência poderia nos acusar de contravenção.

O ano de ver a gota do meu suor descendo pelo nariz e pela boca, dividindo no meio o meu sorriso.

O ano de ver a intrusa, o ano de ver o cristão, o ano de ver a zoada do meu coração. O ano de ver a minha iniciação.

O ano de ver que eu descobria de que modo as pessoas se curavam quando amavam e que eu saberia curar pequenas mortes para quem um dia morresse de mim.

O ano de ver que amar o limpo era coisa de nostalgia, amar o puro era coisa de sabedoria.

O ano de ver tudo como era e não como eu queria. O ano de ver que em nome de ninguém tudo era bom e sorria. O ano de ver meus longuíssimos anos de boa educação.

O ano de ver o instante e depois o ano de nunca estancar a ação. O ano de ver a minha coragem só porque pediam a minha força.

O ano de ver a minha esperança de redenção dos adultos. O ano de ver minha avó confiante quando me fazia acreditar em mim.

O ano de ver a mística, o ano de ver a palavra, o ano de ver a parada, o ano de ver a praia, o ano de ver a poesia. O ano da primeira arrancada, o ano da exclamação, o ano da recomendação cheia de folhas novas.

O ano de aparecer em plena história de primeira comunhão.

O ano da Rebeca, o ano da festa, o ano da minha contemplação como mãe.

O ano da água, o ano da pedra, o ano do pão, o ano da adoração.

O ano dando assim uma nova adivinhação.

O ano da política, o ano da confusão, o ano da instabilidade, o ano da compaixão.

O ano da farsa, o ano da massa, o ano da faca, o ano da raça, o ano da sala, o ano da cabala, o ano do tarô, o ano da dor em transformação.


O ano de salvar o outro, o ano da salvação, o ano da aflição.

O ano que só muito depois eu ia aprofundar a matéria da minha mão. O ano da composição.

O ano da compreensão, o ano da felicidade, o ano da questão, o ano da gravidade, o ano da repercussão.


O ano de sorrir, o ano depois que rimos, o ano da dança, o ano da celebração.

O ano dando uma extrema unção.

O ano do amor, o ano do vôo, o ano da pássara, o ano da sinalização.


O ano de entender as experiências sábias das mães excluídas e pacientemente cuidando das horas de ameaça de morte dos seus filhos.

O ano invisível para se ver.

O ano visível para não ver.

O ano de ver a renúncia do início bem como do fim.

O ano de ver o bolo e seus ingredientes.

O ano de ver o tolo e seus incompetentes.

O ano de ver o alimento na região ardente do coração.

O ano de morder o lábio para a resignação.

O ano de ver os dias que eu temia, um atrás do outro, porque não sabia das surpresas do puro devotamento que sentimos em amar o próximo para nos respeitar.

O ano de ver e de dizer a um homem que disporia de pulsos e de todas as forças que uma mulher tem quando encontra sua própria fogueira, numa relação serena e verdadeira de todo amor que fosse a mais plena libertação.

O ano de ver que ele nem entendeu o regresso. O ano de ver minha extinção.

O ano de ver a minha continuação...

O ano de ver o broto que tem que existir na terra e nutrir seu desejo fantástico de um dia ser raiz.

O ano de ver os monges arrependidos porque ficaram sobrecarregados pelas tantas tentações da solidão.

O ano de ver uma cadeira bem velha, sem comodidade, sem envernização, apenas distraindo os meus olhos do álbum antigo lançado em minhas mãos.

O ano de ver o apascentador de ovelhas automaticamente saindo de mim para me captar tonta de meu enigma.

O ano de ver os segredos da escrita e saber dos vórtices que é se por em estado puro de criação.

O ano de ver a ligeireza corrente de um rio delirante por verter nossa orientação.

O ano de ver bom dia e boa tarde e dizer cuidado com o sol alto, ele pode baixar em você.

O ano de ver a veraz semente da igualdade mostrando sua capacidade de vencer.

O ano de ver a inocência aprendendo cada vez mais a não saber. O ano de ver a minha alegria mantendo-me discreta em minha estranha poética de viver.

O ano de ver que o nada é o começo de uma disponibilidade da alma.

O ano de ver e saber que aos poucos é dado o profundo mergulho na própria e misteriosa aura.

O ano de ver que a clareza visionária parte da linguagem que tem o dom de parecer miragem.

O ano de ver as coisas quando eu as via antes e não sabia que tinha de ver tanta vastidão.

O ano de ver a televisão e dizer que tudo que sei da televisão é apenas o seu botão.

O ano de ver que o abajur jorrar um grande triângulo de luz sobre o papel e a minha mão.

O ano de ver que o meu terremoto abre fendas poderosas nessa língua livre que é a emoção.

O ano de ver que o mundo me exige decisão para as coisas rápidas e pelas quais nem tive tesão.

O ano de ver que me movi quando vi uma velocidade de arco e flecha e não me assustei com a tensão.

O ano de ver que a esfinge me devorou porque respondi certo à sua pergunta e ela ficou muda de tanta indignação.

O ano de ver que todas as estátuas têm um toque de santidade enigmática e um jeito de matéria-prima em exaltação.

O ano de ver que se as deusas fossem vistas, elas teriam fatos e acontecimentos que encurtariam nossa visão.

O ano de ver que a poltrona muda e gorda pertence a um idêntico fabricante e recebe igual qualquer traseiro aconchegante.

O ano de ver que o artista é poeticamente inspirado enquanto o burocrata é tristemente estável.

O ano de ver a semente da lembrança, o ano de ver a árvore da criança, o ano de ver o véu e dá um ano de céu.

O ano de ver o quinto elemento, o ano de ver o sétimo raio, o ano de ver as trombetas em cima de suas cabeças.

O ano de ver os anjos, o ano de ver os cânticos, o ano de ver os sinos, o ano de ver os arcanos, o ano de ver tantos meninos erguendo a lata e brindar a vós.

O ano de ver o pão salvar a missão.

O ano de ver soprando e alcançando a liberdade de um eterno presente que se sente em dizer:


FELIZ 2010 pra você.

visite: http://revistafroditequemquiser.ning.com/profiles/blogs/extra-cronica-e-poesia-e-a



@Cristina Guedes, colunista, começou cedo escrevendo em jornais e revistas. De carreira versátil, ainda jovem tornou-se modelo e apresentadora de tv. Depois, foi redatora publicitária, autora de peças teatrais e entrevistadora em Belo Horizonte, onde viveu a maior parte de sua carreira. Como escritora está em diversas Antologias pelo país, dona de um texto gratificante e cheio de cumplicidade com o leitor. Cristina é jornalista, ensaísta e poeta. Autora do Livro, QUANDO RIEM AS MAÇÃS - que reúne deliciosas crônicas e tiradas com humor sobre homens, mulheres, negócios, políticas tropicais e ainda traz a divertida e envolvente história da mineira Ritinha. Atualmente escreve para diversas revistas e finaliza o livro intitulado A Casa do Mundo no Reino dos Arcanos.

Seja um apoiador de Anjo de Luz

Para mantermos os sites de Anjo de Luz, precisamos de ajuda financeira. Para nos apoiar é só clicar!
Ao fazer sua doação você expressa sua gratidão pelo serviço! Lembre-se que dar e receber são aspectos diferentes do fluxo de energia no Universo.

 
Visit Ave Luz

 

PUBLICIDADE




Badge

Carregando...

Co-criando A NOVA TERRA

«Que os Santos Seres, cujos discípulos aspiramos ser, nos mostrem a luz que
buscamos e nos dêem a poderosa ajuda
de sua Compaixão e Sabedoria. Existe
um AMOR que transcende a toda compreensão e que mora nos corações
daqueles que vivem no Eterno. Há um
Poder que remove todas as coisas. É Ele que vive e se move em quem o Eu é Uno.
Que esse AMOR esteja conosco e que esse
PODER nos eleve até chegar onde o
Iniciador Único é invocado, até ver o Fulgor de Sua Estrela.
Que o AMOR e a bênção dos Santos Seres
se difunda nos mundos.
PAZ e AMOR a todos os Seres»

A lente que olha para um mundo material vê uma realidade, enquanto a lente que olha através do coração vê uma cena totalmente diferente, ainda que elas estejam olhando para o mesmo mundo. A lente que vocês escolherem determinará como experienciarão a sua realidade.

Oração ao Criador

“Amado Criador, eu invoco a sua sagrada e divina luz para fluir em meu ser e através de todo o meu ser agora. Permita-me aceitar uma vibração mais elevada de sua energia, do que eu experienciei anteriormente; envolva-me com as suas verdadeiras qualidades do amor incondicional, da aceitação e do equilíbrio. Permita-me amar a minha alma e a mim mesmo incondicionalmente, aceitando a verdade que existe em meu interior e ao meu redor. Auxilie-me a alcançar a minha iluminação espiritual a partir de um espaço de paz e de equilíbrio, em todos os momentos, promovendo a clareza em meu coração, mente e realidade.
Encoraje-me através da minha conexão profunda e segura e da energia de fluxo eterno do amor incondicional, do equilíbrio e da aceitação, a amar, aceitar e valorizar  todos os aspectos do Criador a minha volta, enquanto aceito a minha verdadeira jornada e missão na Terra.
Eu peço com intenções puras e verdadeiras que o amor incondicional, a aceitação e o equilíbrio do Criador, vibrem com poder na vibração da energia e na freqüência da Terra, de modo que estas qualidades sagradas possam se tornar as realidades de todos.
Eu peço que todas as energias e hábitos desnecessários, e falsas crenças em meu interior e ao meu redor, assim como na Terra e ao redor dela e de toda a humanidade, sejam agora permitidos a se dissolverem, guiados pela vontade do Criador. Permita que um amor que seja um poderoso curador e conforto para todos, penetre na Terra, na civilização e em meu ser agora. Grato e que assim seja.”

© 2020   Criado por Fada San.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço