Anjo de Luz

Informação é Luz , ajude a propagar

Exibições: 18

Respostas a este tópico

TAPIOCA DO REI DO CANGAÇO

Ela nasceu Maria Nevite Vital, em 20 de janeiro de 1925, na zona rural da cidade de Jardim, no Cariri cearense. Terceira dos treze filhos de José Antonio Vital e Maria Vidal, Nevite viveu no Sítio Corrente até se casar, em 1942, aos 17 anos de idade, com Luís Pereira Sobrinho, que carinhosamente a chamava de 'princesa'. O codinome persistiu pelos 54 anos que durou o casamento, mas a trajetória de luta, trabalho e sofrimento dessa cearense, que, como milhares de nordestinos, veio tentar a sorte na Região Sudeste, pouco se assemelha à vida das princesas na corte. Da infância ela lembra com saudade. A vida no sítio era confortável e pacata, e as imagens que povoam as lembranças de Nevite falam da quantidade de caju, cajá e ingá (fruta parecida com uma vagem) que havia na propriedade.

Foi no Sítio Corrente também que Nevite viveu uma grande emoção, quando aos 7 anos assistiu à visita do bando de cangaceiros liderado por Lampião a sua residência. O pai, zeloso pela família, apesar de surpreso com a chegada repentina, recebeu o bando muito bem e pediu para que a esposa preparasse um lanche. 'Toda vida meu pai gostou de criar gado, para não faltar leite e queijo em casa. Naquela noite, mamãe montou uma mesa caprichada com coalhada, que era servida com rapadura, tapioca com queijo e café', lembra Nevite, hoje com 84 anos.


Dona Nevite, a 'bivó', preserva a receita familiar há mais de 70 anos
Depois do lanche e antes de ir embora, Lampião escolheu o melhor cavalo de José Vital e lhe pediu emprestado. 'Meu pai deu o animal como perdido, mas dali a três dias o bicho voltou com arreio e tudo', conta. Foi alguns anos depois da inesperada visita que Nevite preparou sua primeira tapioca, aos 12 anos de idade, igualzinha à da mãe, perpetuando assim a receita. 'Eu era a mais velha das mulheres e depois dos 10 passei a ajudar minha mãe na cozinha', diz. Em 1944, o pai de Nevite comprou terras em Andradina, SP, e em Nova Andradina, MS. Quatro anos depois, ela, o marido e os quatro filhos pisaram em solo paulista após uma viagem de caminhão, navio e trem que durou 24 dias. 'Fomos para Juazeiro (Bahia), onde tomamos o navio a vapor para Pirapora, MG. Pegamos um trem para São Paulo, outro para Bauru e outro para Andradina', lembra.

A terra natal ficou para trás, mas os costumes não. Além da rede, onde Luís Pereira descansava após um banho vespertino, balançando ao som dos passarinhos que mantinha na garagem de casa, a receita da tapioca se perpetuou na família, sendo ensinada às filhas e às netas. Em Andradina, Nevite morou por poucos dias no Sítio Figueira, de 45 alqueires, de seu pai. 'Fomos para a cidade, pois meu marido queria trabalhar no comércio.' A vinda para São Paulo aconteceu porque Luís queria formar os filhos. Falecido em 1995, ele montou e manteve o armazém Casa Vital, de secos e molhados, de 1949 a 1988, período em que o casal conseguiu diplomar os seis filhos, Persival, Ivonete, Izonita, Ivonizia, Lucia e Paulo. Com a morte de Luís, a 'princesa' voltou a ser novamente Maria Nevite. Mas, com a chegada dos bisnetos - que já somam 12 -, virou 'bivó', como é hoje carinhosamente chamada por todos da família. Da longa trajetória, restam sua parte da herança da Figueira, de 18 alqueires, a saudade da terra natal e a tradição de reunir a família com a tapioca.


TAPIOCA DA BIVÓ À MODA NORDESTINA
Ingredientes
• 1 pacote (500 g) de polvilho doce
• 1 xícara e meia (250 ml) de água
• 1 peça de queijo fresco
• manteiga a gosto

Como fazer
Despeje o polvilho numa travessa funda. Molhe-o com água, distribuindo uniformemente pequenas porções na travessa. O polvilho ficará duro (compacto). Em seguida, peneire essa mistura (a peneira indicada é a de aço galvanizado, também usada na construção civil) numa outra tigela. Distribua uma camada desse polvilho na frigideira e deixe dourar (não é necessário adicionar óleo nem manteiga). Quando a massa virar uma goma e estiver ligeiramente queimada, vire-a de lado. Distribua fatias de queijo fresco a gosto e deixe no fogo até derreter. Passe manteiga, dobre a tapioca ao meio, corte em fatias e sirva.
http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,4528,00.html

LINC PARA TERES AS MAIS DIVERSAS INFORMAÇOES NO GLOBO RURAL.

RSS

Seja um apoiador de Anjo de Luz

Para mantermos os sites de Anjo de Luz, precisamos de ajuda financeira. Para nos apoiar é só clicar!
Ao fazer sua doação você expressa sua gratidão pelo serviço! Lembre-se que dar e receber são aspectos diferentes do fluxo de energia no Universo.

 
Visit Ave Luz

 

PUBLICIDADE




Badge

Carregando...

Co-criando A NOVA TERRA

«Que os Santos Seres, cujos discípulos aspiramos ser, nos mostrem a luz que
buscamos e nos dêem a poderosa ajuda
de sua Compaixão e Sabedoria. Existe
um AMOR que transcende a toda compreensão e que mora nos corações
daqueles que vivem no Eterno. Há um
Poder que remove todas as coisas. É Ele que vive e se move em quem o Eu é Uno.
Que esse AMOR esteja conosco e que esse
PODER nos eleve até chegar onde o
Iniciador Único é invocado, até ver o Fulgor de Sua Estrela.
Que o AMOR e a bênção dos Santos Seres
se difunda nos mundos.
PAZ e AMOR a todos os Seres»

A lente que olha para um mundo material vê uma realidade, enquanto a lente que olha através do coração vê uma cena totalmente diferente, ainda que elas estejam olhando para o mesmo mundo. A lente que vocês escolherem determinará como experienciarão a sua realidade.

Oração ao Criador

“Amado Criador, eu invoco a sua sagrada e divina luz para fluir em meu ser e através de todo o meu ser agora. Permita-me aceitar uma vibração mais elevada de sua energia, do que eu experienciei anteriormente; envolva-me com as suas verdadeiras qualidades do amor incondicional, da aceitação e do equilíbrio. Permita-me amar a minha alma e a mim mesmo incondicionalmente, aceitando a verdade que existe em meu interior e ao meu redor. Auxilie-me a alcançar a minha iluminação espiritual a partir de um espaço de paz e de equilíbrio, em todos os momentos, promovendo a clareza em meu coração, mente e realidade.
Encoraje-me através da minha conexão profunda e segura e da energia de fluxo eterno do amor incondicional, do equilíbrio e da aceitação, a amar, aceitar e valorizar  todos os aspectos do Criador a minha volta, enquanto aceito a minha verdadeira jornada e missão na Terra.
Eu peço com intenções puras e verdadeiras que o amor incondicional, a aceitação e o equilíbrio do Criador, vibrem com poder na vibração da energia e na freqüência da Terra, de modo que estas qualidades sagradas possam se tornar as realidades de todos.
Eu peço que todas as energias e hábitos desnecessários, e falsas crenças em meu interior e ao meu redor, assim como na Terra e ao redor dela e de toda a humanidade, sejam agora permitidos a se dissolverem, guiados pela vontade do Criador. Permita que um amor que seja um poderoso curador e conforto para todos, penetre na Terra, na civilização e em meu ser agora. Grato e que assim seja.”

© 2022   Criado por Fada San.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço