Anjo de Luz

Informação é Luz , ajude a propagar

O que é a doença? por Mauro Kwitko - Médico e Psicoterapeuta



"Muito se tem falado hoje em dia sobre a origem real das doenças físicas, ou melhor dito, as manifestações patológicas que surgem no nosso corpo físico. Alguns médicos da Medicina tradicional ainda relutam em aceitar e integrar ao seu cotidiano novas maneiras de pensar a doença, movidos por um receio difícil de entender e, teimosamente, preferem deixar isso completamente de lado, ou a cargo dos psicólogos e psiquiatras. Mas outros já estão abrindo-se para a Medicina do futuro e estão estendendo seus raciocínios para a integração Espírito-mente-corpo, a união das várias maneiras de ajudar um doente.

Mas, embora mesmo entre os leigos já se acredite na origem ou, pelo menos, na grande influência do nosso jeito de ser em nossas doenças físicas, poucas pessoas entendem como isso acontece. E os raciocínios simplistas são de que o nervosismo tem relação com a gastrite, os problemas afetivos com o infarto do miocárdio, etc. Mas de que modo o nosso jeito de ser, os nossos pensamentos e sentimentos, a nossa maneira de viver a vida podem provocar doenças físicas? A Física Quântica já provou que a matéria é apenas uma condensação de energia, ou seja, energia vibrando numa certa freqüência que possibilita ao olho humano visualizá-la, o que implica dizer que a diferença entre algo visível e algo invisível é apenas a sua freqüência vibratória, e então nós vemos o que é "visível" e não vemos o que é "invisível". Tudo resume-se à capacidade de percepção do olho humano e, claro, ao desenvolvimento da percepção visual de cada um, dai existirem os videntes, que vêm o “invisível".

Mesmo sendo de amplo conhecimento que matéria é uma condensação energética, a maioria das pessoas tem enorme dificuldade de integrar o conhecimento de que nós somos um mecanismo energético, com diversas estruturas interagindo entre si, vórtices (chakras), canais, cores, enfim, uma circulação “invisível” em incrível movimentação, em constante modificação. Conhecendo esses corpos e os vórtices, os quais tentam manter uma regulação energética entre si e, principalmente, entendendo as repercussões de problemas em sua estrutura ao nível do corpo denso, pode-se começar a assimilar realmente o que significam as "doenças" que surgem nesse corpo visível. É tudo uma questão de "limpeza" ou de "sujeira" a nível energético e de circulação rápida ou lenta, livre ou bloqueada, nos corpos mental e emocional e a sua repercussão no duplo etérico, e daí para o corpo físico.

É como a diferença entre um curso de água que flui livre, rapidamente e sem bloqueios, de um outro que flui lentamente, com bloqueios e dificuldades de escoamento. É mais ou menos assim que acontece a nível energético em nossos corpos. Quando a Energia flui livremente, quando não há toxinas e impurezas que lhe obstaculizam o fluxo, ou pelo menos, quando a circulação energética não tem bloqueios importantes, o ser humano encontra-se num estado que deveria ser o normal e usual para todos, mas isso é bastante raro. A maioria de nós possui essas toxinas, impurezas, obstáculos e bloqueios importantes em sua circulação energética, mas de onde vêm? Dos nossos pensamentos e sentimentos, quer tenham se originado nessa encarnação, quer tenham vindo integrados a esses corpos das nossas outras encarnações. E o que eles provocam? Uma diminuição da velocidade de fluxo da circulação energética, uma dificuldade de escoamento, zonas de difícil passagem, áreas de acúmulo energético. E onde? Nas partes do corpo que possuem uma sintonia com os pensamentos e sentimentos prejudiciais, dai a relação com locais e órgãos do corpo físico, como o coração, o fígado, os rins, o estômago, as articulações, as mãos, os pés, etc...

Os nossos pensamentos e sentimentos, as nossas características de personalidade e o nosso modo de viver são os causadores das “doenças físicas". E então é óbvio que os tratamentos tradicionais endereçados apenas ao corpo físico, seus órgãos e partes, não podem ter uma ação realmente curativa, e é o que se observa na prática médica tradicional, ortodoxa.

Sendo as doenças provocadas originalmente em nossos pensamentos e sentimentos, a verdadeira cura tem que se endereçar a esses efeitos primários e isso pode ser feito de várias maneiras: os tratamentos psicológicos, tradicionais ou mais modernos, a utilização de estímulos energéticos endereçados a essas estruturas também energéticas, como a Homeopatia, a Terapia Floral, o Reiki, etc.

A doença deve ser vista como a conseqüência de um equívoco, de um erro, e apenas a correção deste equívoco pode propiciar a verdadeira cura. Esse erro, na maior parte das vezes, vem de uma falta de sintonia da nossa personalidade encarnada com a nossa Essência, ou seja, os raciocínios, modo de sentir e de agir, enquanto aqui encarnados, não têm uma concordância com o nosso bem supremo. Essas "infrações" repercutem energeticamente nos corpos sutis e daí repercutem no corpo físico. A cura real, íntima, vem da retificação dessas questões patogênicas e isso pode ser atingido por um trabalho profundo de autoconhecimento, de interiorização, e um aprofundamento nas questões espirituais.

Se a doença vem da raiva e atinge, por exemplo, o fígado, a vesícula biliar ou o cérebro, a cura da raiva pode ocasionar a cura da repercussão física, mas, principalmente, curar o corpo emocional e o corpo mental e isso é o mais importante, pois são esses corpos que permanecerão conosco depois do desencarne e ao reencarnarmos novamente. Isso é uma verdadeira cura, enquanto que uma “cura" dos órgãos afetados ou uma extirpação cirúrgica é um modo caridoso de tratar, mas paliativo. Nunca devemos nos esquecer que o único corpo descartável que possuímos é o corpo físico, que deve ser bem tratado e cuidado, mas não pode constituir-se no enfoque principal dos métodos de cura. Os corpos que permanecerão conosco devem merecer a nossa atenção, no meu modo de ver, até mais do que o corpo visível.

Se a doença vem da mágoa, do ressentimento, da tristeza, dos medos, da falta de confiança, do orgulho, da vaidade, etc., é isso que deve ser curado. Dependendo da expectativa do profissional de cura, o enfoque visará "curar" apenas o corpo físico ou os corpos mais sutis com repercussão no físico.

Os terapeutas espiritualistas, médicos ou não, não devem perder de vista o objetivo da encarnação que é a auto-evolução, e que a grande causa da doença da humanidade encarnada é esquecer que está aqui de passagem, em busca da melhoria de certas características que ainda necessitam do confronto com as situações da vida encarnada para a sua exteriorização. E então viver-se como se realmente tivéssemos nascido (a chegada) e fôssemos morrer (a saída), sem saber que a nossa maneira de pensar e de sentir já são nossas faz muito tempo, de antes de aqui chegarmos, e que quando são negativas e prejudiciais estão nos revelando claramente o que descemos para curar, faz com que a personalidade encarnada viva quase de uma maneira ilusória, apegada à superficialidade das coisas, interessada mais em aspectos fúteis e vazios, temporários e sem importância, quando deveria endereçar sua atenção e seu foco existencial ao verdadeiro objetivo de sua breve estadia nesse plano terreno: a correção de suas imperfeições.
Esse erro de enfoque faz com que geralmente o que viemos para curar, a raiva, a tristeza, a mágoa, o egoísmo, etc., permaneça em nossos corpos emocional e mental, e pior, muitas vezes até amplificado por novos erros e enganos.

A doença do ser humano é a mesma doença da humanidade, a falta da verdadeira visão sobre suas questões profundas e transcendentais. E, a par dos enormes benefícios da Medicina alopática, ela tem um aspecto muito prejudicial, a nível consciencial, que é alienar o doente de seus processos patológicos, transformando-o numa vítima da doença e não um participante ativo de todo o processo. Não é uma questão de culpa por sua doença e, sim, de responsabilidade. O doente revela-se em sua doença, ele e a sua doença são a mesma coisa. Por isso a cura das doenças do Homem virá junto com a cura da distorcida visão da humanidade, em relação a essas questões. A seu tempo, em alguns séculos, isso irá se formatando e teremos um dia um novo Homem encarnado sobre a Terra, construindo um mundo de amor, de paz e de progresso, trazendo consigo a verdadeira justiça, a fraternidade e a igualdade. Nesse dia, as doenças físicas serão raras, pois estarão praticamente curadas num nível sutil, o dos pensamentos e dos sentimentos."

(extraido de "www.somostodosum.ig.com.br)

Exibições: 45

Respostas a este tópico

Plano contra o sedentarismo
Melhore a sua saúde em apenas 4 semanas

Sedentarismo e saúde são incompatíveis. Se padece de excesso de peso, diabetes, hipertensão, artrose ou cansaço, entre outros transtornos, parte do tratamento consiste em andar a pé. Ajudamo-lo a dar o primeiro passo.

Este manual da caminhada vai permitir-lhe acabar com o sedentarismo e ganhar saúde em apenas um mês.

Se jamais se havia proposto ir a pé para além do fim da sua rua, por que motivo iria fazê-lo agora que começa a sentir alguns incómodos e se cansa com maior facilidade? Precisamente por isso.

Andar a pé com regularidade pode fazer maravilhas por si: aumenta as suas defesas, recupera a força e a vitalidade do corpo, afugenta as dores, queima calorias, baixa o nível de açúcar no sangue, controla a tensão arterial, melhora o seu estado de ânimo, ajuda-a a dormir com mais facilidade... rejuvenesce-o!

Precisa de mais motivos? Para a ajudar a dar o primeiro passo, desenvolvemos este plano para caminhar, em colaboração com o médico de Medicina Desportiva Marcos Miranda. No espaço de quatro semanas notará uma grande melhoria.

Antes de começar, adapte este plano às suas possibilidades Para evitar problemas e tirar o máximo partido da sua caminhada: Consulte um médico.

É imprescindível se tiver mais de 45 ou 50 anos e nunca fez qualquer tipo de exercício ou padece de algum problema cardíaco, hipertensão, tonturas, transtornos articulares ou de ossos. Peça conselhos personalizados antes de começar.

PLANO DE CAMINHADAS:

1ª semana
Para ir adquirindo o hábito, comece por andar 20 minutos, duas vezes por semana, por exemplo, terça e sexta-feira
Segunda-feira
Aprenda a andar correctamente, em casa: primeiro, apoie o calcanhar no chão e depois a planta e os dedos, balançando-se para a frente de forma natural, sem forçar o pé em nenhum momento.

Terça-feira
Comece a andar devagar e vá acelerando até chegar ao seu máximo aos 5 minutos. Após 10 minutos a caminhar, vá reduzindo o ritmo durante 5 minutos até terminar o percurso devagar.

Quarta-feira
Ensaie a postura correcta para caminhar. Mantenha as costas direitas e os ombros relaxados para acompanhar livremente com os braços o movimento natural dos pés.

Quinta-feira
Quando sair do supermercado ou do trabalho, treine não só a forma de pisar como a postura aprendida. Distribua o peso por ambos os pés e mantenha-os direitos.

Sexta-feira
Saia para caminhar e siga as mesmas indicações dadas na terça-feira. Aplique nesta caminhada o movimento controlado dos braços para que lhe dêem impulso.

Sábado
Se estiver com amigos, comente que começou a andar a pé. Reforçarão a sua decisão. Pode até incentivá-los a tentar o mesmo ou que a acompanhem. Assim, o exercício nunca se tornará aborrecido.

Domingo
Levante-se cedo e saia para comprar pão ou o jornal. Aproveite para dar um passeio. Assim, irá deixando para trás este modo de vida sedentário.

2ª semana
Aumente o tempo do percurso para 30 minutos. Antes de começar a andar, faça sempre exercícios de aquecimento e, depois, de alongamentos.
Segunda-feira
Compre um podómetro. Este aparelho mede o número de passos que dá, os quilómetros que faz e o tempo empregue no percurso. Assim, poderá comprovar os seus progressos.

Terça-feira
Faça o aquecimento e comece a andar, acelerando a marcha para chegar ao seu ritmo máximo aos 5 minutos. Passados 20 minutos, vá reduzindo outros 5 minutos até terminar. No final, alongue.

Quarta-feira
Se notar algum incómodo nos pés, talvez necessite de usar calçado mais adequado; assegure-se de que utiliza sapatos desportivos: transpiráveis, de sola firme, flexível e com amortecimento, sobretudo nos calcanhares.

Quinta-feira
E xperimente respirar bem. Assim poderá andar cada vez mais sem se cansar. Inspire e expire profundamente e o mais devagar possível que lhe permita o ritmo cardíaco.

Sexta-feira
Já está em condições de controlar a sua forma de pisar, a postura e a respiração. Siga as orientações definidas para a sua caminhada tendo em conta todos estes aspectos.

Sábado
Se for para o campo e quiser andar um pouco, calce botas de montanha com sola dura e calcanhar fofo. Se for para a praia, ande descalça e a bom ritmo, sem se esforçar demasiado, mas sentindo a massagem da areia e do mar.

Domingo
Se tem amigos aficionados na caminhada e quiser ir com eles para lhes mostrar os seus progressos, não fale muito enquanto caminha, para não se cansar.


3ª semana
Aumente as suas caminhadas para três dias por semana (segunda, quarta e sexta-feira, por exemplo). O tempo do percurso continuará o mesmo: 30 minutos
Segunda-feira
Siga as mesmas recomendações de caminhada da semana anterior. Se quiser, já pode acelerar mais e aumentar o ritmo das suas pulsações, para aumentar a sua resistência. Compre um pulsómetro: permite-lhe manter o controlo permanente da pulsação.

Terça-feira
Quer reforçar a sua forma física nos dias em que não faz caminhada? Suba escadas, faça uma parte do trajecto para o trabalho a pé ou desça do autocarro/comboio uma paragem antes. Assim, estará a praticar a sua técnica de caminhada quase sem dar conta.

Quarta-feira
Hoje é dia de andar, mas tem de ir ao supermercado: não faça a caminhada carregando sacos, o corpo não vai equilibrado e a postura não é boa; as costas também sofrerão.

Quinta-feira
Se, apesar de ter uns bons sapatos desportivos, agora que anda mais os pés a incomodam, visite o podólogo. Pode dar-se o caso de ter pé chato ou calos.

Sexta-feira
Pode começar a fazer metade do trajecto num plano inclinado (subir uma encosta, por exemplo). Causar-lhe-á menos esforço se der passos mais curtos. Não se canse e vigie bem as suas pulsações.

Sábado
Se tiver de ir a algum lado, às compras por exemplo, pode aplicar a técnica da caminhada, se lhe apetecer, desde que não o faça carregada de sacos. Leve roupa e calçado confortáveis.

Domingo
É o dia ideal para passear ao ar livre com a sua família. Incentive-os a respirar consigo, lenta e profundamente, enquanto caminham e desfrutam a paisagem.

4ª semana
Continue com os três dias e 30 minutos. Para aumentar o esforço ao caminhar, pode levar pesos: existem pesos próprios para usar como pulseiras à volta dos pulsos ou dos tornozelos
Segunda-feira
Tire mais partido da sua caminhada: dê passos mais largos e trabalhará mais os músculos das coxas e glúteos. Mas continue a controlar a postura e a respiração.

Terça-feira
Dá-se conta de que andar a pé é investir em saúde? Seria ainda mais perfeito incluir na sua vida outra actividade que suponha movimento, como dançar, andar de bicicleta...

Quarta-feira
Se subiu demasiadas escadas ou encostas e nota que se excedeu, diminua o ritmo e faça respirações profundas até ficar bem.

Quinta-feira
Nos dias de não andar, aproveite a hora do almoço para fazer o gosto aos pés. Convença os seus colegas a ir ao restaurante mais afastado ou, se for sozinha, vá ouvindo música pelo caminho.

Sexta-feira
Se for aumentando o ritmo e a duração das suas caminhadas pode sentir uma cãibra nos gémeos. A solução: pare, alongue o músculo e massaje-o para o aquecer.

Sábado
Se estiver no campo, experimente subir terrenos com maior desnível, mas sem se exceder. Será mais seguro e divertido fazê-lo com companhia.

Domingo
A partir de agora, pode aumentar o percurso e o ritmo da suas caminhadas ou pode andar mais dias da semana. Sentir-se-á tão bem que o próprio corpo lhe vai pedir para continuar.

CUIDADOS A TER ANTES, DURANTE E DEPOIS:

Exercícios de aquecimento
Simples e fáceis de executar
Protegem o coração, preparando-o para o início da actividade mais intensa, bem como as articulações, e evitam contracturas musculares.

Exercício 1
Suba e desça os braços, da frente até ao cimo da cabeça. Inspire ao subir e expire ao descer os braços. Repita 10 vezes.

Exercício 2
Estique os braços ao lado e faça círculos com eles em ambos os sentidos. Repita 10 vezes em cada sentido.

Exercício 3
Caminhe uns metros apoiada apenas na ponta dos pés e depois nos calcanhares. Repita 5 vezes com cada apoio.

Exercício 4
De pé, estique uma perna para a frente (flectindo um pouco a outra) e toque na ponta do pé com a mão. Mantenha a posição 10 segundos. Mude de perna.

Controle a pulsação
Todas as contas que deve fazer
Durante a primeira semana, treine medir a sua pulsação. Pode fazê-lo palpando os batimentos cardíacos no peito, ou sentindo a pulsação no pescoço (do lado esquerdo ao nível do ângulo posterior do maxilar inferior) ou ainda no pulso direito (para poder controlar o relógio) do lado do polegar.

Em ambos os casos, deve usar as extremidades dos dedos indicador e do meio para sentir o pulso. Em alternativa, poderá usar um pulsómetro para manter o controlo permanente da pulsação.

Este controlo é essencial não só por motivos de saúde (para não esforçar demasiado o organismo), como para retirar maior proveito do exercício.

Para medir a sua pulsação
Conte as batidas em 10 segundos e multiplique por 6 para obter o valor em 60 segundos. Tente manter esse valor entre os limites mínimo e máximo recomendados para exercícios aeróbios (como a caminhada). Essa é a zona de treino ideal.

Para calcular a sua zona de treino ideal
Comece por calcular a sua frequência cardíaca máxima (FCM). FCM = 220 – idade. Por exemplo, se tiver 45 anos, a sua FCM é 175.

Para calcular o limite mínimo
Este corresponde a 60% da sua FCM. Por exemplo, se tiver 45 anos, será 105.

Para calcular o limite máximo
Este corresponde a 85% da sua FCM. Por exemplo, se tiver 45 anos, será 149. Assim, se tiver 45 anos, deve manter a sua pulsação entre 105 e 149 batidas por minuto. Se ultrapassar estes valores, poderá esforçar demasiado o seu sistema cardiovascular e, até, consumir menos gordura. E, se estiver abaixo do mínimo, estará a obter pouco benefício do seu exercício.

Como aumentar o ritmo
As regras que deve seguir para potenciar os resultados deste plano
Obviamente, o plano que lhe propomos serve-lhe que nem uma luva se foi até agora uma pessoa sedentária, mas se já se encontra em boa forma ou já passaram as quatro semanas do nosso plano, não se resigne a ele.

Os 30 minutos 3 dias por semana tornaram-se, segundo cada vez mais especialistas, algo curtos quando aquilo que se pretende é aproveitar ao máximo os benefícios para a saúde de andar a pé.

Quais as mais recentes recomendações dos especialistas? Se toda a actividade física que faz durante a semana é caminhar, o ideal seria fazê-lo durante 60 minutos diários a um ritmo cómodo (o segredo está em ser constante).

Se o seu problema é a falta de tempo, não se preocupe, os especialistas também asseguram que não é necessário andar os 60 minutos de seguida: pode dividi-los em 3 sessões de 20 minutos ao longo do dia.

Exercícios de alongamento
Aprenda a fazê-los da maneira correcta
Os exercícios de alongamento podem fazer muito pela saúde dos seus músculos. Normalizam a tensão muscular, evitando as lesões. Para saber mais sobre os seus benefícios, clique aqui.

Mantenha cada posição dos exercícios que se seguem durante 30 segundos.

Exercício para todo o corpo
Apoie as mãos numa parede, esticando os braços. Estique uma perna para trás e apoie o pé no chão até notar o alongamento. Repita com a outra perna.

Exercício para o interior da coxa
Ajoelhada no chão, deixe uma perna flectida e estique a outra para trás, apoiando as mãos no chão. Empurre a bacia contra o chão.

Exercício para o posterior da coxa
Deitada de barriga para cima, braços esticados, joelhos flectidos à altura do peito, empurre as pernas para um lado; volte à posição inicial e empurre para o outro lado, alternando.

Exercício para os ombros
De pé, com as pernas juntas, flicta um pouco os joelhos e incline ligeiramente o corpo para a frente, levantando bem os braços para trás.

Exercício para as costas
Deitada de barriga para cima, segure os joelhos junto ao peito, envolvendo-os com os braços. Com as costas bem assentes no chão, dos ombros à região lombar, sinta o alongamento.

Texto: Fernanda Soares
Revisão científica: Dr. Marcos Miranda (médico do Centro Nacional de Medicina Desportiva e Clínica CUF-Alvalade e membro da direcção da Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva)
A responsabilidade editorial e científica desta informação é da revista Prevenir
Fonte:Sapo Saude
Postura ao computador precisa-se!

Todos nós passamos horas seguidas ao computador. O trabalho intenso sem intervalos, pausas para descanso ou mudança de postura pode prejudicar a sua saúde de forma grave. É possível trabalhar com mais qualidade e maior segurança se tiver em conta algumas dicas ergonómicas.

"Quanto mais longo for o dia de trabalho, maior é a probabilidade de se contrair problemas de coluna", afirma Rui Garganta, Professor da Universidade do Porto.

Para começar, é necessário manter uma boa postura através da utilização de uma cadeira que tenha suporte para as suas costas, particularmente na zona lombar. Os seus pés devem estar apoiados no chão ou deverá recorrer a um suporte que o ajude a reduzir a pressão sobre as costas.

Deve evitar girar ou inclinar o tronco ou o pescoço para trabalhar. Opte por manter os seus ombos relaxados, com os cotovelos junto ao corpo. Evite apoiar os seus cotovelos na mesa ou numa superfície dura.

Se necessário, deve recorrer ao uso de almofadas. Se passa muitas horas ao computador, tem de aprender a fazer pausas frequentes durante o dia.

Pode fazer também alguns alongamentos e, se possível, faça um a dois minutos de pausa em cada 15 ou 20 minutos e cinco minutos em cada hora.

Deve também levantar-se da cadeira a cada duas a três horas. Aproveite para dar uma volta, beber um café ou realizar uma tarefa alternativa!



Deve tentar manter os seus dedos e articulações relaxadas enquanto digita e nunca segure numa caneta ou num lápis enquanto estiver a escrever ao computador.



Alguns estudos mostram que a maioria dos utilizadores de computador bate no teclado quatro vezes mais do que o necessário.

Tente ajustar o seu monitor, de modo a que, ao olhar para ele, o seu pescoço adopte uma posição confortável.

O monitor deve ficar directamente à sua frente e a parte superior deve estar em frente aos seus olhos. "Equipamentos de trabalho, como secretárias, ou cadeiras e domésticos, como a tábua de passar a ferro ou a banca da louça, nem sempre estão adaptados à nossa morfologia (tamanho) e podem causar ou agravar problemas", comenta Rui Garganta.

Sabemos que não é fácil apreender todas estas regras mas não custa tentar... para melhorar a sua saúde e ganhar qualidade no trabalho!

Cláudia Pinto
Fonte:Medicos de Portugal
Dieta do Tipo Sanguíneo


A dieta do tipo sangüíneo foi desenvolvida pelo médico naturopata Dr. Peter J. D’Adamo e publicada em seu livro “Eat Right For Your Type” (Se Alimente Corretamente de Acordo com seu Tipo de Sangue), publicado em 1996 nos Estados Unidos. Muitos especialistas discordam da teoria proposta pelo Dr. D’Adamo, alegando falta de comprovação científica em grande parte de suas afirmações, porém, isso não irá ser tratado aqui.
Basicamente, a dieta do grupo sanguíneo segue a premissa de que cada grupo sangüineo (A, B, AB e O) devem seguir dietas específicas.Para cada grupo sanguíneo, os alimentos podem ser classificados como:
benéficos: alimentos que previnem e tratam doenças
neutro: alimentos que não previnem doenças porém também não prejudicam à pessoa
nocivos: alimentos que podem agravar ou causar danos à pessoa
Mas o que cada grupo sangüíneo pode comer?

Sangue Tipo O
São carnívoros com aparelho intestinal forte e necessitam comer proteínas animais diariamente, caso contrário, estão propensos a desenvolver doenças gátricas como úlceras e gastrites devido a alta produção de sucos gástricos

Alimentos Benéficos:
Carnes: bovina, carneiro, vitela, cordeiro
Peixes: bacalhau, badejo, sardinha, linguado, salmão
Laticínios: Queijo de leite de cabra, queijo de soja
Frutas: ameixa, nozes, figo, sememte de abóbora
Verduras: abóbora, brócolis, espinafre, alface romana, acelga, salsa
Cereais: Evitar
Outros: azeite de oliva

Alimentos Neutros:
Carnes: frango e peru
Peixes: atum, camarão, lagosta
Laticínios: mussarela, manteiga, queijo minas
Frutas: noz pecãn, castanhas, avelã, pinha
Verduras: abobrinha, agrião, inhame
Cereais: farelo de arroz, farinha de trigo integral
Outros: óleo de canola

Alimentos Nocivos:
Carnes: carne de porco e derivados como presunto e bacon
Peixes: caviar, salmão defumado, polvo
Laticínios: creme de leite, iogurte, leite (integral ou magro), a maioria dos queijos, sorvete
Frutas: laranja, morango, côco, amora, amendoim, castanha do pará, pistache, castanha de caju, abacate
Verduras: berinjela, champignon, milho, repolho
Cereais: aveia, trigo, cuscuz e pão branco
Outros: óleo de milho, óleo de amendoim

Sangue Tipo A
São vegetarianos com aparelho intestinal sensível e têm dificuldades para digerir proteínas de origem animal, pois sua produção de suco gástrico é mais limitada.

Alimentos Benéficos:
Carnes: evitar carnes vermelhas
Peixes: bacalhau, salmão vermelho, salmão, sardinha, truta
Laticínios: queijo de soja, tofu
Frutas: abacaxi, ameixa, cereja, figo, limão, amora, damasco
Verduras: abóbora moranga, alface romana, acelga, brócolis, cenoura, acelga, alcachofra, cebola
Cereais: farinhas de centeio, arroz, soja e aveia, pão de farinha de soja
Outros: alho, molho de soja, missô, melaço de cana, gengibre, chá verde, café normal, vinho tinto

Alimentos Neutros:
Carnes: frango e peru
Peixes: atum, pescada
Laticínios: iogurte, mussarela, ricota, iogurte c/ frutas, coalhada, queijo minas
Frutas: melão, passas, pêra, maçã, morango, uva, pêssego, goiaba, kiwi
Verduras: agrião, chicória, milho, beterraba
Cereais: fubá de milho, flocos de milho, cevada
Outros: açúcar branco, chocolate, alecrim, mostarda (seca), noz-moscada, manjericão, açúcar mascavo, manjericão, orégano, canela, hortelã, salsa, salvia

Alimentos Nocivos:
Carnes: bovina, carneiro, cordeiro, pato, porco e derivados, vitela
Peixes: mexilhões, lagostim, salmão defumado, caviar, ostra, lagosta, camarão, caranguejo.
Laticínios: creme de leite, sorvete, leite magro e integral, manteiga, requeijão
Frutas: caqui, carambola, côco
Verduras: repolho, tomate, inhame, batata, berinjela, batata doce
Cereais: Creme e germe de trigo, farinha de trigo integral, pão preto, pão integral, farinha branca, granola
Outros: alcaparras, gelatina pura, pimenta em grão, vinagre, cerveja, licor, chá preto, refrigerante

Sangue Tipo B
Podem tolerar dieta mais variado e o único tipo de sangue que tolera bem laticínios em geral.

Alimentos Benéficos:
Carnes: carneiro, cordeiro, coelho, veado
Peixes: bacalhau, salmão, linguado, badejo, caviar, sardinha
Laticínios: iogurte, mussarela, coalhada, leite, queijo, ovos, ricota
Frutas: abacaxi, bananas, mamão, uvas, ameixa fresca
Verduras: batata doce, cenoura, berinjela, inhame, beterraba, brócolis, couve, repolho
Cereais: arroz integral, aveia integral
Outros: gengibre, salsa, açafrão, hortelã, pimenta, ginseng, gengibre, sálvia

Alimentos Neutros:
Carnes: carne bovina, peru, vitela
Peixes: arenque, truta, atum, lula
Laticínios: leite soja, queijo parmesão, queijo soja, manteiga, requeijão, leite integral
Frutas: morango, laranja, kiwi, passas, pêra
Verduras: abóbora, agrião, alface, acelga, aipo, cogumelos, espinafre
Cereais: granola
Outros: café, vinho branco, cerveja, chá preto, chá de amora, hortelã, camomila

Alimentos Nocivos:
Carnes: frango, pato, porco, presunto
Peixes: lagosta, camarão, anchova, caranguejo, polvo, ostra, polvo, mexilhão
Laticínios: queijo fundido e roquefort, sorvete com leite
Frutas: caqui, carambola, coco
Verduras: alcachofra, azeitonas, tomate, broto de feijão, milho verde
Cereais: farinha de trigo, milho, centeio
Outros: canela, maisena, pimenta branca e do reino, gelatina pura, refrigerantes, bebidas destiladas


Sangue Tipo AB

Necessitam de uma dieta equilibrada contendo um pouco de tudo.

Alimentos Benéficos:
Carnes: carneiro, coelho, cordeiro e peru
Peixes: atum, bacalhau, cavala, sardinha, garoupa, truta
Laticínios: coalhada, iogurte, mussarela, ricota, queijo cottage
Frutas: abacaxi, ameixa, cereja, figo, limão, kiwi, uva, framboesa
Verduras: aipo, alho, beterraba, berinjela, brócolis, couve-flor, pepino
Cereais: arroz, farinha de centeio, de trigo, aveia
Outros: curry, alho, missô, gengibre, camomila

Alimentos Neutros:
Carnes: faisão, fígado
Peixes: arenque, linguado, carpa
Laticínios: leite e queijo de soja, leite desnatado, requeijão
Frutas: ameixa seca, pêra, passas, mamão, maçã, pêssego
Verduras: broto de bambu, cebolinha, escarola, agrião, vagem
Cereais: cevada, germe de trigo, granola
Outros: açafrão, mel, açúcar, melaço, chocolate, vinho

Alimentos Nocivos:
Carnes: bovina, frango, porco, presunto e vitela
Peixes: anchova, camarão, caranguejo, lagosta, linguado, ostra, mexilhão, siri
Laticínios: leite integral, creme de leite, queijo parmesão, brie, provolone, roquefort, manteiga
Frutas: banana, caqui, goiaba, laranja, manga
Verduras: alcachofra, milho verde, nabo, pimentão, rabanete
Cereais: farinha de cevada, de milho, trigo sarraceno, cereais matinais, amido de milho
Outros: alcaparras, tapioca, vinagre, mel de milho, anis, maisena, malte de cevada, pimenta do reino e vermelha


fonte:emporio xingu
Que bom ler este artigo. como terapeuta vibracional fico muito feliz de ver propagado tão óbvia razão.
Saudações!
O Poder Curativo dos Chás

Combinadas entre si ou separadas, ervas diuréticas - chapéu-de-couro, abacateiro, cavalinha, dente-de-leão, cabelo de milho - ervas calmantes - camomila, erva doce, laranjeira - , e temperos - canela, cravo, gengibre, salsa -, são capazes de aliviar problemas físicos e da alma com bastante eficácia.


* Para síndrome pré-menstrual: chá de cavalinha com camomila e cravo.
*
Para inchaços: chá de folha de abacateiro.
*
Para gastrites e úlceras: chá de espinheira?santa.
*
Para gases e flatulência: chá de orégano, louro, camomila, erva-doce, carqueja, hortelã e angélica.
*
Para diarréia: chá de maçã, de goiabeira e eucalipto.
*
Para sinusite crônica: chá de eucalipto com gengibre e mel .
*
Para gripes de inverno e verão: preparar um chá com mel, dois dentes de alho macerado com limão cortado em rodelas, algumas lascas de gengibre, canela em pau e uma pitada de noz moscada.
*
Para fortalecer pessoas com medos e insegurança: chá de cravo, canela e ginseng.
*
Para aumentar a serotonina (hormônio da felicidade): ao deitar, chá de camomila ou erva-doce.
*
Para o alívio das tristezas: chá de frutas vermelhas com cravo e canela.
*
Para insônia: Chá de folhas de alface (talos e parte interna da folha) com jasmim, flor de laranjeira ou casca seca de laranja, maracujá e camomila.
*
Para relaxar: chá de camomila, maçã ou erva-doce.
*
Para fadiga crônica: chá de erva-mate ou chimarrão.
*
Para dores de cabeça: chá de erva cidreira.

RSS

Seja um apoiador de Anjo de Luz

Para mantermos os sites de Anjo de Luz, precisamos de ajuda financeira. Para nos apoiar é só clicar!
Ao fazer sua doação você expressa sua gratidão pelo serviço! Lembre-se que dar e receber são aspectos diferentes do fluxo de energia no Universo.

 
Visit Ave Luz

 

PUBLICIDADE




Badge

Carregando...

Co-criando A NOVA TERRA

«Que os Santos Seres, cujos discípulos aspiramos ser, nos mostrem a luz que
buscamos e nos dêem a poderosa ajuda
de sua Compaixão e Sabedoria. Existe
um AMOR que transcende a toda compreensão e que mora nos corações
daqueles que vivem no Eterno. Há um
Poder que remove todas as coisas. É Ele que vive e se move em quem o Eu é Uno.
Que esse AMOR esteja conosco e que esse
PODER nos eleve até chegar onde o
Iniciador Único é invocado, até ver o Fulgor de Sua Estrela.
Que o AMOR e a bênção dos Santos Seres
se difunda nos mundos.
PAZ e AMOR a todos os Seres»

A lente que olha para um mundo material vê uma realidade, enquanto a lente que olha através do coração vê uma cena totalmente diferente, ainda que elas estejam olhando para o mesmo mundo. A lente que vocês escolherem determinará como experienciarão a sua realidade.

Oração ao Criador

“Amado Criador, eu invoco a sua sagrada e divina luz para fluir em meu ser e através de todo o meu ser agora. Permita-me aceitar uma vibração mais elevada de sua energia, do que eu experienciei anteriormente; envolva-me com as suas verdadeiras qualidades do amor incondicional, da aceitação e do equilíbrio. Permita-me amar a minha alma e a mim mesmo incondicionalmente, aceitando a verdade que existe em meu interior e ao meu redor. Auxilie-me a alcançar a minha iluminação espiritual a partir de um espaço de paz e de equilíbrio, em todos os momentos, promovendo a clareza em meu coração, mente e realidade.
Encoraje-me através da minha conexão profunda e segura e da energia de fluxo eterno do amor incondicional, do equilíbrio e da aceitação, a amar, aceitar e valorizar  todos os aspectos do Criador a minha volta, enquanto aceito a minha verdadeira jornada e missão na Terra.
Eu peço com intenções puras e verdadeiras que o amor incondicional, a aceitação e o equilíbrio do Criador, vibrem com poder na vibração da energia e na freqüência da Terra, de modo que estas qualidades sagradas possam se tornar as realidades de todos.
Eu peço que todas as energias e hábitos desnecessários, e falsas crenças em meu interior e ao meu redor, assim como na Terra e ao redor dela e de toda a humanidade, sejam agora permitidos a se dissolverem, guiados pela vontade do Criador. Permita que um amor que seja um poderoso curador e conforto para todos, penetre na Terra, na civilização e em meu ser agora. Grato e que assim seja.”

© 2020   Criado por Fada San.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço